Skip to content


Por que escrever um blog?

Essa questão é tão difícil, que só agora me propus a parar para escrever. Pensei muito nisso antes de criar o blog e planejei que este fosse o meu primeiro texto publicado, mas não aconteceu. Nos últimos dias, sempre que sento no computador é para trabalhar. Não rola, portanto, clima para questões existenciais. A solução foi a seguinte: escrevo o texto à mão e depois digito para publicar no blog. Deu certo!

A primeira vez que vi um blog
, e isso foi antes da mídia brasileira começar a falar do assunto, fiquei fascinada pelas possibilidades de comunicação que esse novo tipo de site proporcionava. Era um blog temático, sobre tecnologia e internet, que um profissional da área mantinha há algum tempo. O assunto me interessava, e os posts curtos, cheios de links e de opinião, apresentavam uma quantidade enorme de informação relevante por página.

No mesmo dia, visitando links para outros blogs a partir desse mesmo site, vi que cada pessoa tinha o seu próprio estilo de blogar. Tinha um que escrevia pouco e sempre, eram posts de no máximo 3 linhas, muitas vezes enigmáticos, e ele não revelava sua identidade. Outros escreviam bastante e sobre diversos assuntos e, muitas vezes, linkavam para outros blogs, que também visitei curiosa. Alguns entravam em assuntos pessoais, como o blog da Grazzi, que morava na Itália, e foi então que eu resolvi montar o meu.

SpeedBlog.com

Rapidamente, criei o HyperSpeed Weblog – ou SpeedBlog, como ficou conhecido – sem saber exatamente por quê. Meu blog não tinha tema nem proposta, mas por algum motivo eu queria muito que ele tivesse público. Com o tempo, reparei que eu falava muito sobre mim mesma: o que eu fazia, o que eu pensava, o que eu sentia. É claro que não era só isso, eu também publicava textos sobre sites, filmes, design, yoga ou qualquer outra coisa que me interessasse no momento. Mas são dos posts pessoais que eu me lembro até hoje.

Outra coisa que eu também me recordo é que falar sobre os meus problemas era bastante terapêutico. O ato de refletir sobre algo e tentar colocar em palavras, de forma que qualquer pessoa entenda, me fez aprender muito sobre mim mesma. De alguma forma, me expor me fez bem, e, talvez, seja isso que eu estou buscando nessa retomada do meu lado blogueira.

SpeedBlog: capa/cover #8 SpeedBlog: capa #9

O blog também serve a outros propósitos, e foi justamente pensando neles que escolhi o nome Ephemera. Quando mantinha o SpeedBlog, o site funcionava também como um arquivo das coisas que eu encontrava por aí. Diversas vezes, vasculhei meus posts buscando o link para um site que havia gostado ou para uma notícia que eu queria reler. Outras vezes, era uma imagem bonita ou algum comentário que eu mesma fizera sobre um filme. Além disso, eu adorava reler posts antigos, de mais de um ano, e tentar entender o que estava acontecendo comigo naquele momento e o quanto eu havia mudado.

Escrever um blog, portanto, tem para mim duas principais funções: ser uma ferramenta de auto-reflexão e arquivar o meu dia a dia. Para isso, no entanto, bastaria escrever um diário, o que eu até fiz quando criança, mas não me imagino fazendo agora.

O terceiro aspecto que me atraiu nos blogs, e que até já foi citado alguns parágrafos acima, foi o público. O fato de que seus textos serão lidos por outras pessoas, muitas vezes desconhecidos, pode incentivar a autocensura, mas esse não foi o meu caso. Para mim, a existência do leitor me obrigava a me aprofundar no assunto, desejando esclarecer ao máximo a situação. Não bastava, por exemplo, compartilhar com o mundo que eu estava triste. Eu queria explicar o por quê e, nesse processo, evidenciava para mim mesma sentimentos que ignorava existir.

SpeedBlog: capa/cover #5 SpeedBlog: capa/cover #11

A participação das pessoas também era estimulante. Naquela época ainda não existiam os comentários, mas todos os meus posts tinham um link para contato, e eu recebia muitas mensagens. Era ótimo! Conheci muita gente por meio do SpeedBlog, inclusive pessoalmente, e algumas decisões da minha vida foram tomadas “em grupo”. O nome da minha cachorra labrador, a Luna, foi escolhido a partir das propostas dos leitores do site, e até a compra do meu primeiro carro passou por um debate no blog, além das inúmeras dicas e informações que recebia no meu inbox.

Mas chegou uma hora em que eu cansei. Não só perdi a vontade de escrever, como passou também a vontade de me expor. Os últimos meses do SpeedBlog foram bem parados, com poucas atualizações de pouco conteúdo. Passei por uma fase de mudanças radicais (sendo algumas delas de caráter confidencial, não por minha vontade) e precisei me recolher.

Quando pensei em voltar a escrever, a primeira ideia era ressuscitar o SpeedBlog, que está no freezer há quatro anos, mas a pessoa que criou aquele blog não existe mais. Não me identifico mais com a HyperSpeed que fui aos 20 e poucos anos. Minhas questões agora são outras, até o meu texto mudou, e acho que essa nova fase merece o seu próprio endereço.

Agora, não sei o que vai acontecer. Mais uma vez, inicio um blog sem tema definido, sem saber se ele vai sobreviver aos momentos de muito trabalho e de pouco tempo. O que eu sei é que eu gosto de escrever e de dividir o que eu penso com os outros. Eu também sei que os blogs estão em baixa, muitos encerraram suas atividades nos últimos meses, especialmente aqueles como o meu: sem temática, sem nicho. Mas e daí?! E voltando à pergunta lá de cima – por que escrever um blog? – a resposta agora ficou fácil: porque eu gosto!

Posted in Meu blog, Minha vida.

Tagged with .


5 Comentários

Mantenha-se atualizado! Assine o RSS feed para comentários deste post.

  1. SonyaSunny diz...

    Hi,
    Interesting, I`ll quote it on my site later.

  2. JP diz...

    Legal ver voce de volta a blogosphere! Lembro muito bem dos tempos do Hyperspeed Blog aka “vivendo em alta velocidade”. Foi a primeira vez que ouvi falar de blogs. Voce, como sempre, um passo a frente das tendecias!

    Um beijo!

    JP

  3. Lia diz...

    Caramba, é verdade! “vivendo em alta velocidade” era o subtítulo. Obrigada! Bjs

  4. LnddMiles diz...

    Pretty cool post. I just stumbled upon your blog and wanted to say
    that I have really liked reading your blog posts. Anyway
    I’ll be subscribing to your blog and I hope you post again soon!

  5. Dulce Tupy diz...

    Lia,
    Eu também gosto de escrever. Não sei se blog ou se livros. Se comentários, apenas. Sei que a internet ainda está sendo uma caminho cheio de descobertas para mim. Mas a cada passo, vejo uma paisagem diferente e mais perspectivas pela frente
    Por isso continuo escrevendo.
    Beijos, Dulce



Você pode usar um pouco de HTML

ou responda este post via trackback.